.
.
.
.
.
NAS POSTAGENS A SEGUIR, EXPERIÊNCIAS DE VIAGENS, DICAS DE LUGARES INTERESSANTES, NOSSAS PESQUISAS E OBJETOS

sábado, 20 de junho de 2009

Pesca da Tainha em Florianópolis, Santa Catarina




A pesca da tainha em Florianópolis tradicionalmente começa com a chegado do frio, geralmente de 15 de maio até 15 de julho, quando enormes cardumes migram do sul, procurando águas mais quentes para desovar.


Maneira antiga, artesanal e coletiva de pescar, na época das praias desertas e frias de Florianópolis ( especialmente na Praia dos Ingleses), dezenas de pescadores ocupam dia e noite pequenos barracos de madeira aguardando a chegada dos cardumes. A noite a grande praia escura fica pontilhada por lampiões e fogueiras, numa cena silenciosa e solitária.






Revezando-se como olheiros nos costões, desde a madrugada esperam o mar de um verde gelado mudar para um tom avermelhado, sinal que o enorme cardume de tainhas chega próximo da costa.






Nesse momento, com apitos comandam a entrada de grandes canoas a remo no mar e o lançamento das redes feitas por eles mesmos, com 400 braças de comprimento (cerca de 600 metros). Ela só é puxada por todos após o barco voltar para a praia.

Há relatos quando, dessa maneira tão simples e artesanal, numa só tirada de rede são pescadas cerca de 120.000 tainhas, e no total da temporada 180 toneladas.







Perto dali, um desses barcos foi batizado Bucefalo, épico nome do cavalo de Alexandre, o Grande , da Macedônia, imortalizado em esculturas e mosaicos desde a antiguidade. Bucefalo significa cabeça de boi, e a tainha tem um formato de cabeça bem particular. Esse nome está lá escrito em letras infantis e puras, será coincidência? Ou como disse Cartier-Bresson, "Só existem coincidências".







Essa é uma boa época para comer tainhas, peixe delicioso. Em Santa Catarina, bons restaurantes preparam ela recheada com ovas. A melhor maneira é quando um peixe sem ovas, portanto bem gordo, é recheado e assado com as ovas de um "ovado" e magro.

Aqui em São Paulo também vale experimentar sashimi ou karasumi, ou ainda pasta com bottarga em algum bom restaurante italiano. Ou tentar fazer você mesmo(a), numa daquelas noites frias em que a melhor opção é ficar em casa, dando uma olhada na receita de Tagliolini alla Bottarga no blog Tabembom, do amigo Leo. Para conseguir a bottarga aqui em SP, contate a empresa familiar de origem grega Lefkas que produz, em Santa Catarina, a bottarga da melhor maneira artesanal e tradicional. Eles tem inclusive a rara e sofisticada bottarga protegida por cera de abelha (imagem abaixo).






Um comentário :

Tá Bem Bom disse...

Olá
Belas fotos, principalmente a primeira, da tainha o que mais gosto é a botarga.Inté leo

ESTUDIO MANUS on Facebook

ENDEREÇO ESTUDIO MANUS, CLIQUE ABAIXO PARA SABER COMO CHEGAR